Atualmente, quando precisamos trocar uma lâmpada, logo pensamos que a escolha será fácil, já que queremos optar pela mais moderna, econômica e com maior tempo de vida útil. A opção é clara: lâmpada de LED. Mas a missão não é tão simples quanto parece, pois quando chegamos à loja, percebemos que existem diversos modelos de lâmpadas LED.

Para ajudar você a escolher a melhor opção para sua casa ou escritório, separamos algumas dicas importantes sobre cada tipo de lâmpada LED. Confira:

Voltagem

Há quatro opções de voltagem de lâmpada de LED, são elas: 12 volts, 110 volts, 220 volts e bivolt. Você precisa comprar a lâmpada com a tensão compatível com a rede elétrica da região, sendo a mais comum de 110 volts e posteriormente de 220 volts.

As lâmpadas bivolts são perfeitas, pois podem ser instaladas tanto em redes de 110 volts quanto de 220 volts. Elas funcionam em qualquer localidade do Brasil, tornando-se a opção mais certeira.

Já as lâmpadas com 12 volts são ideais para serem instaladas em sanca em gesso e oferecem uma iluminação mais fraca e pontual.

Tipos de conectores

Antes de sair para comprar a lâmpada, confira qual é o tipo de conector que seu lustre apresenta. Os quatro principais modelos existentes são: MR16 ou GU5.3, GU10, E27 e o E14. Se você escolher o soquete errado, não conseguirá encaixar a lâmpada no lustre.

O primeiro modelo, MR16 ou GU5.3, é usado em spots que utilizam lâmpadas dicroicas. Já o segundo, GU10, encaixa em lustres e luminárias modernas. O terceiro, E27, é o tipo de conector mais comum no formato de rosca presente em plafons, pendentes e lustres tradicionais e, por fim, o soquete E14 é indicado para lustres e castiçais importados.

Cor da luz

As lâmpadas de LED também emitem diversas tonalidades de luz, por isso, podem ser utilizadas para iluminar ambientes de todos os estilos. Se a lâmpada for instalada em um cômodo como um quarto, uma sala ou corredores, que pedem um clima de descanso calmo, opte pelas que emitem luz amarelada conhecidas como quentes.

Mas se precisar iluminar um ambiente como escritório, banheiro, lavanderia ou cozinha, prefira as lâmpadas de luz branca intensa, chamadas de frias. Elas iluminam melhor e facilitam a realização das atividades rotineiras. Caso fique na dúvida, existem também as lâmpadas que emitem luz de tonalidade intermediária, conhecidas como neutras ou naturais.

Além disso, quem busca um ambiente mais descontraído e alegre, pode optar pelas lâmpadas de LED coloridas. Disponíveis nas cores azul, verde, vermelha e laranja, elas podem iluminar festas, ambientes externos e também podem ser utilizadas em sessões de cromoterapia, tratamento que tem como objetivo equilibrar corpo, mente e emoções por meio das cores.

Potência

É preciso escolher a potência ideal de forma com que a lâmpada ilumine suficientemente o ambiente. Para conseguir fazer a escolha certa, use a seguinte regra:

1 Watt de LED é igual a 10 Watts da lâmpada incandescente. Um exemplo prático para que você consiga entender a regra é uma lâmpada halógena de 50 Watts ilumina da mesma forma que uma lâmpada LED de 5 Watts.

Além de todas as características acima, também é necessário escolher o modelo correto de lâmpada que pode ser: bulbo, que imita as lâmpadas incandescentes e apresenta soquete tipo E27, o spot tipo dicroica, que tem diâmetro padrão de 50mm, o PAR20, com diâmetro de 65mm e o PAR30 com 95mm, as duas últimas com soquete E27.

Se você está em busca de lâmpadas para iluminar piscinas e jardins, existem diversos modelos de LED próprias para este fim. Elas são resistentes à água e calor e alguns modelos são alimentados pela luz solar, para que você possa economizar ainda mais na conta de energia.

Agora que você já conhece as diversas características dos modelos das lâmpadas de LED existentes no mercado, analise item a item para não errar na hora da compra. Gostou das dicas? Então curta nossa página no Facebook e receba mais informações sobre iluminação.