Quem passa boa parte do dia em um escritório, reconhece o quanto esse espaço é essencial no cotidiano. Ele deve ser aconchegante, para inspirar motivação, gerar maior produtividade para o trabalho e, ainda, garantir o bem-estar.

A fadiga visual é responsável por boa parte da improdutividade e do cansaço no trabalho. Por isso, a iluminação ideal para escritório é aquela que atende com qualidade às nossas necessidades visuais.

Para te ajudar a projetar o seu escritório, separamos alguns pontos que devem ser levados em consideração na hora de escolher a iluminação certa.

Conheça os tipos de lâmpadas e sua luminosidade

Existem três tipos básicos de lâmpadas: incandescente, fluorescente e de LED. Tanto as fluorescentes quanto as de LED são brancas e mais econômicas, mas as últimas são as mais modernas e possuem uma durabilidade bem maior.

É importante ressaltar que potência não indica luminosidade. Por isso, você deve procurar pela medida em lúmens, que é o fluxo emitido, ou pela medida em lux, que é a luz que chega ao local.

Geralmente, lâmpadas incandescentes têm uma iluminação de 12 lúmens por watt, enquanto as de LED possuem uma média de 80 lúmens por watt. Assim, se uma lâmpada de LED tem 12W, ela equivale a uma incandescente de 100W.

Para o escritório, o fluxo de luz deve variar entre 300 e 500 lúmens, dependendo se é focada na mesa de escritório ou não. Você pode fazer o teste para verificar qual iluminação te deixa mais confortável durante o tempo em que passa trabalhando.

Selecione as luminárias

Para definir as luminárias, pense qual é o tipo de luz ideal para o seu trabalho: difusa ou dirigida. A difusa tende a iluminar o ambiente como um todo, de forma igual. A dirigida, por sua vez, é focada em apenas um local, com um fluxo geralmente mais forte.

Ainda, é possível optar por luminárias e lâmpadas para ambas as situações e alterná-las durante o trabalho, conforme a necessidade. Escolha abajures e luminárias de mesas para a iluminação direta e opte por plafons ou luminárias de teto de vidro leitoso para a iluminação difusa, por exemplo.

Escolha os pontos de iluminação e o ângulo

Para o teto, disponha as luminárias em uma distância igual para garantir que a luz seja bem distribuída. O ângulo de todas as luzes deve ser superior a 30º acima do olhar, para não causar ofuscamento.

O olho nunca deve ficar contra a luz ou na mesma direção. Outro fator que causa o cansaço da visão é uma iluminação com frequência variável ― que pisca, por exemplo.

Aproveite a luz natural

Nada melhor do que aproveitar a própria luz do sol para economizar energia e garantir um ambiente natural. Se o escritório tiver janelas, disponha a mesa em um local que seja iluminado e não ofusque a vista.

Diversos estudos de universidades norte-americanas, como Northwestern e Illinois, já provaram que pessoas com maior contato com a luz do dia tendem a ter melhor produtividade.

Conte com um especialista para o seu projeto

Conte com um especialista no assunto para visualizar a iluminação do seu escritório. Ele poderá desenhar o projeto e te auxiliar na compra das melhores luminárias e instalações necessárias para o seu espaço de trabalho.

Os pontos mencionados acima são alguns dos fatores que devem ser considerados, mas o projeto de iluminação precisa da devida atenção para transformar o escritório em um bom local de trabalho.

E você? Já teve alguma experiência com a iluminação do seu escritório? Deixe um comentário contando sua história!