Sabemos que a iluminação de um ambiente, bem como as cores utilizadas em sua decoração, têm o poder de influenciar o comportamento humano e a tomada de decisões.

Esse é um conceito por vezes complexo, que demanda uma série de cuidados. Dessa maneira, a iluminação para restaurantes deve ser planejada de forma minuciosa, a fim de proporcionar ao cliente a sensação adequada.

No post de hoje, veremos 4 dicas para deixar seu restaurante ainda mais aconchegante, gerando conforto para seus frequentadores. Confira!

1. Usar a influência das cores na iluminação

Quando pensamos em decoração de ambientes, a primeira coisa que nos ocorre é a utilização correta das cores. E isso não é diferente ao pensarmos sobre o projeto de iluminação, principalmente em se tratando de restaurantes, já que os tons são formados a partir da reflexão da luz por algum objeto.

Por esse motivo, é importante que se escolha a cor certa para cada ambiente, utilizando-se dela para criar a harmonia necessária.

É tudo uma questão de psicologia. Afinal, cada tipo de cor transmite uma sensação e produz um efeito de luz diferente. Veja alguns exemplos:

Cores quentes

São os tons de amarelo, vermelho, laranja, terracota, etc. Essas cores, como a própria classificação diz, transmitem aquecimento ao ambiente, no sentido emocional da palavra. Então, elas tendem a proporcionar excitação e sensações de alegria nas pessoas.

O lado negativo também deve ser observado. O vermelho, por exemplo, quando usado em excesso, causa aumento da pressão arterial, além de contribuir para a irritabilidade.

O lado bom é que as cores quentes estimulam o apetite, mas devem ser observadas junto à iluminação, uma vez que, como foi dito, elas “aquecem” o ambiente e podem torná-lo menos aconchegante quando não utilizadas na medida certa.

Cores frias

São os tons de azul, cinza, verde, violeta, etc. Essas são as cores que transmitem tranquilidade, calma e suavidade ao ambiente. Em geral, são bons aliados de uma iluminação mais suave.

Mas a dica do excesso também é válida aqui, pois tranquilidade demais leva a introspecção, tristeza e sono.

2. Utilizar corretamente os contrastes

Sabe-se que o baixo contraste em ambientes não cria os estímulos necessários à promoção do bem-estar. Dessa maneira, a iluminação fica pobre e dá impressão de lugar-comum, sem nada de especial.

Para atribuir contrastes ao seu projeto, é necessário apostar em diferentes intensidades de luz. É isso que trará a sensação de profundidade e aconchego ao local. As sombras, por exemplo, devem ser cuidadosamente planejadas a fim de evitar que alguns objetos da decoração se apaguem.

Esse tipo de iluminação não uniforme é capaz de gerar um ambiente amigável, no qual todos se sintam entre amigos.

3. Adequar o tipo de iluminação ao estilo de restaurante

Vimos que as cores e os contrastes têm o poder de influenciar o humor das pessoas. Mas há uma outra dica importante a ser observada: a iluminação do restaurante deve ser condizente com o seu estilo e objetivo.

Bons exemplos são os restaurantes fast foods, que não podem ter um ambiente muito aconchegante devido à rapidez e à praticidade no atendimento. Por isso, eles sempre usam cores bem quentes e são extremamente iluminados.

Por outro lado, restaurantes que servem pratos à la carte devem contar com uma iluminação mais trabalhada, que abusa dos contrastes e da mistura de cores frias e quentes. Aqui a intenção é fazer com que o cliente permaneça o maior tempo possível no local.

4. Usar as vantagens da iluminação em LED

Todos sabem que a iluminação em LED oferece grande economia de energia. Podemos utilizar essa tecnologia nos ambientes do restaurante onde se pretende ter mais refrescância e descontração.

Uma boa dica é usar as lâmpadas em LED nos balcões dos bares ou em outras partes que você deseje destacar, pois elas possuem uma luz em tons frios e equilibrados, proporcionando relaxamento.

Agora que você já está por dentro da iluminação para restaurantes, acesse o site da Target e conheça todas as novidades para os projetos do seu negócio!